Fundação Solidariedade Pequenos e Médios Produtores de Vinho do Porto
www.fundacaoprovinporto.com

 




















É MELHOR DAR AOS MAUS QUE PEDIR AOS BONS

 

Para o Excimo Sr. Presidenta da República, com os meus respeitosos cumprimentos e pedidos de justiça para esses milhões de PORTUGUESES para quem V.EXCIA trabalhou na recolhados alimentos dados por outros PORTUGUESES UNS TALVEZ PARA FICAREM NA FOTOGRAFIA E outros por SOLIDARIEDADE que talvez esse pouco ainda esta semana lhe faça falta para a sua familia.

De modo nenhum estou a censurar, mas aproveito para justificar o Titulo desta mensagem MAIS VALE DAR AOS MAUS QUE PEDIR AOS BONS, SOBRE TUDO QUANDO ESTAMOS A DEIXAR OU SUPOSTAMENTE ESTAMOS A DEIXAR ROUBAR OU DESPERDIÇAR UMA RIQUEZA QUE SEM PREJUDICAR NINGUÉM DARIA PARA PELO MENOS ALIVIAR ESSES GENEROSOS DO ESFORÇO, E TEMPO PARA V.EXCIA HONRAR ESSE JURAMENTO QUE FEZ NA V. TOMADA DE POSSE COMO PRESIDENTE DA REPUBLICA, QUE ERA E É CUMPRIR E FAZER CUMPRIR AS LEIS DA CONSTITUIÇÃO DA REPUBLICA PORTUGUESA.

SEGUNDO A MINHA MANEIRA DE VER E INTERPRETAR, HÁ LEIS EM VIGOR QUE NÃO ESTÃO A SER CUMPRIDAS QUER NA MANEIRA DE TRATAR O VINHO DO PORTO QUE SÃO SECULARES QUE FORAM ALTERADAS SEM RESPEITO PELA QUALIDADE E  NOBREZA QUE LHE DÃO UMA MAIS VALIA.

MAS REFIRO-ME OBJECTIVAMENTE AQUELA QUEIXA CRIME QUE FOI FEITA CONTRA O PRESIDENTE DO I.V.D.P. E Á  INTERPROFISSIONAL NO TRIBUNAL DA RÉGUA COM O Nº 276/18.7T9RG QUE FOI CLASSIFICADA COMO GENÉRICA, UM CRIME DE CERCA DE MIL MILHÕES DE EUROS POR ANO (((É UM BOCADO ESTRANHO))) FOI ARQUIVADO POR FALTA DE PROVAS.

COMO JÁ PROVEI, (((MAS NÃO TENHO NADA QUE PROVAR))) CABE ÁS AUTORIDADES COMPETENTES ESSE TRABALHO E TODO O MUNDO SABE QUE EM COISAS QUE SÃO PUBLICADAS NA INTERNET TEEM DE ESTAR E ESTÃO SEMPRE Á DISPOSIÇÃO DAS AUTORIDADES.

PORTANTO SR. PRESIDENTE DA REPUBLICA CABE A V.EXCIA HONRAR O SEU  JURAMENTO, MAS NUNCA ME PASSOU PELA CABEÇA QUE POSSA PENSAR EM POR O SEU LUGAR Á DISPOSIÇÃO.SEI BEM QUANTO É RESPEITADO!!!

MAS ESTOU CONVENCIDO QUE SE OS DADOS QUE O IVDP NOS FORNECEU,  AONDE SE ENCONTRA O CRIME DAS VENDAS DAS 73.MIL PIPAS DE VINHO DO PORTO POR ANO SEM SER DECLARADAS E OS ACUSADOS FOREM RESPONSABILIZADOS E COMO O

 PROJECTO QUE FOI APRESENTADO  NO PALÁCIO DA FÓS PARA ARRANJAR DINHEIRO PARA A PROMOÇÃO DO VINHO DO PORTO EM TODO O GLOBO FOR PROMULGADO, GARANTO A V.EXCIA QUE AS VENDAS DO VINHO DO PORTO AUMENTARAM ATÉ 10 VEZES MAIS, O QUE NÃO É NENHUM  FENÓMENO PORQUE AS NOSSAS VENDAS DEPOIS E ANTES DE 1975 SÓ 8 PAÍSES TEM CONSUMIDO 91,5 %.

COMO ME CONSIDERO UM PORTUGUÊS TÃO GRANDE COMO O MAIS OU O MAIOR PORTUGUÊS DEPOIS DO REI AFONSO HENRIQUES AS MINHAS CONTAS COM ESTADO ESTÃO PAGAS E É O ESTADO QUE ME DEVE UMA A PARTE DE UM TERRENO QUE ME   EXPROPRIOU DEPOIS DE ALGUNS ANOS E A MINHA VIDA TEM SIDO PAUTADA NA DEFESA DOS INTERESSES DOS PORTUGUESES E DE PORTUGAL CONFORME SE CONFIRMA NESTE PROJECTO E SÓ ME APETECE GRITAR A COM TODOS OS PULMÕES A PERGUNTAR O QUAL É O MAL QUE EU FAÇO PARA QUE A COMUNICAÇÃO SOCIAL NUMA SESSÃO DE ESCLARECIMENTO DENTRO DO SALÃO DA CASA DO DOURO EM 2005 DEPOIS DE ME TER  APRESENTADO COMO CANDIDATO Á ASSEMBLEIA DA REPUBLICA E SER AUTORIZADO PELO PRESIDENTE DA MESA,QUANDO ACABOU LEVANTOU-SE ENTROU PARA O SEU GABINETE,PEDI PARA ME VIR APRESENTAR RESPONDEU QUE JÁ NÃO AUTORIZAVA,PEDI PARA  DIZEREM QUE SÓ SAIA POR ORDEM DA G.N.R. A QUEM JÁ TINHA FALADO.

MANDOU O SEGURANÇA POR-ME NA RUA Á VIOLÊNCIA E COMO SABIA QUE ERA PUBLICAMENTE CONHECIDO COMO CANDIDATO INSISTI E O VERDUGO PEGOU EM MIM COMO SE FOSSE UM PALHAÇO  ESQUECENDO QUE ESTAVA A REPRESENTAR A PÁTRIA E A REPUBLICA PORTUGUESA, DE TAL MODO QUE TIVE QUE IR AO HOSPITAL RECEBER TRATAMENTO FÍSICO E PSÍQUICO ,APRESENTEI QUEIXA NA G.N.R. QUE FOI ARQUIVADA.

CURIOSAMENTE; A RAZÃO PORQUE ME APRESENTEI NA CASA DO DOURO, FUI INFORMADO Á ULTIMA DA HORA QUE ESTAVA A DECORRER UMA ASSEMBLEA DOS CONSELHEIROS DA CASA DO DOURO, PARA APROVEITAR ESSA OPORTUNIDADE E ESTAVA LÁ TODA A COMUNICAÇÃO SOCIAL, NACIONAL E REGIONAL CURIOSAMENTE NINGUÉM VIU NEM OUVIU NADA.

PERGUNTO A V.EXCIA SR PRESIDENTE ESTE PROJECTO QUE DEFENDO DEPOIS DE 45 ANOS QUE SE ARRASTA Á JÁ QUATRO SÉCULOS,1º FOI O MARQUES DE POMBAL QUE,OS ASSAVA E GRELHAVA VIVOS O QUE ME ARREPIA SÓ EM PENSAR NISSO. O SEGUNDO FOI O DR. OLIVEIRA SALAZAR QUE PUBLICOU UMA LEI EM 1932 QUE SÓ TEM 2 CLAUSULAS QUE FORAM SUFICIENTES PARA SOSSEGAR OS GANANCIOSOS QUE ERA, NEM OS PRODUTORES PODIAM VENDER VINHO DO PORTO NEM OS VENDEDORES PODIAM PRODUZIR UVAS OU VINHO DO PORTO. COMO AINDA SE LEMBRAVAM DO QUE SE TINHA PASSADO COM OS SEUS ANTEPASSADOS NUNCA DERAM PROBLEMAS. 

 TENHO A HONRA DE DIZER QUE SOU O TERCEIRO E O ÚNICO VIVO QUE EM QUATRO SÉCULOS TEM LOTADO PELA DEFESA DESSA GRANDE RIQUEZA E A TRISTEZA DE NÃO TER MAIS PORTUGUESES QUE VENHA PARA A LUTA NA DEFESA DUMA RIQUEZA QUE É DE PORTUGAL E DE TODOS QUE NELA INTERFIRA MAS NUNCA SÓ DE ALGUNS.NÃO A LEVARAM AINDA  PORQUE  NÃO PODEM COM ELA

MAIS UMA VEZ PERGUNTO SR. PRESIDENTE;SERÁ QUE OS RESPONSÁVEIS PELA ORDEM PUBLICA ESTÃO A VELAR PELOS DIREITOS E DEVERES  E LEGÍTIMOS INTERESSES DOS CIDADÃOS

PERGUNTO A V. EXCIA??? ESTE PROJECTO ONDE NÃO HÁ PREJUDICADOS E SÓ HÁ INTERESSE PARA TODOS OS INTERVENIENTES, MESMO PARA OS CONSUMIDORES QUE O PAGAM, MERECE O DESPREZO DE TODOS OS RESPONSÁVEIS  PELA NAÇÃO  

 

                       POR UMA U.E. MELHOR SEM CORRUPTOS ONDE HAJA PAZ PÃO E JUSTIÇA SOCIAL 

 

            P.S.ATÉ A UNIÃO EUROPEIA PRECISA DESTA RIQUEZA PORQUE É INESGOTÁVEL    E ÚNICA NO MUNDO 

                                           

 

                                                  MAIS VALE DAR AOS MAUS QUE PEDIR AOS BONS

 

 

GONÇALVES PEDRO

 

 

 

 

 

14/11/2018

QUEIXA CRIME CONTRA OS RESPOSAVEIS DO I.V.D.P. E DO CONCELHO INTER-PROFISSIONAL 

PROCESO Nº 276/18.7T9PRG

 

 Junto para anexar ao processo na data de 05/09/2018 o pedido de informação ao I.V.D.P. com a produção e vendas referentes aos anos 2006, 2010, 2015 e 2017. 

Como se pode verificar, SEM MOSTO E SEM VÍNICA, fabricaram-se mais 78 870 PIPAS POR ANO conforme se explica no mapa anexado.


EMAIL DO I.V.D.P. COM OS DADOS OFICIAIS DA ESTATÍSTICA À DATA

De: Antonio Taveira <ataveira@ivdp.pt>
Enviado: 5 de setembro de 2018 09:19
Para: Sr. Gonçalves Pedro
Cc: Bento Amaral
Assunto: RE: pedido de produção

 

Exmo Sr Gonçalves Pedro

Bom dia,

Infelizmente não encontrei dados de 2005  por isso seguem os de 2006.

Mosto autorizado 123500 pipas.  Cerca de 26945L de aguardente vínica. Vendas 224492 pipas

2010- Mosto autorizado 100000 pipas. Cerca de 21818L de aguardente vínica. Vendas 209174 pipas

2015-- Mosto autorizado 111000 pipas. Cerca de 24218L de aguardente vínica. Vendas 209978 pipas

Com os  melhores cumprimentos

António Taveira

 

 


Exmo. Sr. P.G.D.R. como só agora  tive a confirmação das estatísticas já maquilhadas e visto que o IVDP se recusou a envia-las, preciso que mas enviem porque me parece que tenho direito a elas para não haver controvérsia em relação à verdade. Conforme aconteceu às 1as

JULGAVA que essa Procuradoria, em 28/08/2018 assim que recebeu  as minhas copias, vindas do IVDP, com os dados oficiais da produção e vendas, iria de imediato, pelo menos, confirmar junto do sitio do IVDP a exatidão desses números já que não podia  mandar agentes, e neste caso, já não havia hipótese de falsificar as estatísticas.

Como eu alertei que tinha medo de passar de queixoso a criminoso, já me sinto nessa posição enquanto não os vir passar a réus.

A MELHOR PROVA É ESTA, os denunciados foram mais uma vez obrigados a traficar os segundos nºs para esconder o  GRAVE CRIME COMETIDO DURANTE MUITAS DECADAS.

Há mil e uma maneira para provar que a minha denúncia é real, ESPERO QUE A JUSTIÇA  NÂO  COOPERE COM OS CRIMINOSOS PORQUE AS VITIMAS CONTINUAM A SOFRER SEM NECESSIDADE NENHUMA porque o vinho do PORTO CHEGA PARA TODOS.

 

Como podem confirmar nos mapas que anexo mesmo a traficar não conseguiram fazer coisas credíveis porque como se mostra, conseguiram vender mais do que o que se fabricou.

 

ISTO É O QUE ME INFORMARAM EM 28 DE AGOSTO E 18 DE SETEMBRO DE 2018

 

VENDAS E FABRICO

 

DATA

MOSTO (Pipas)

VÍNICA (Pipas)

VENDAS (Pipas)

2006

123 500

26 945

224 492

2010

100 000

21 812

209 174

2015

111 000

24 218

209 978

2017

118 000

46 454

222 173

TOTAIS

452 500

119 429

865 817

 

571 929

-571 929

 

DIFERENÇA

293 888

 

Estas 293 888 a dividir por 4 anos dá 73 482 pipas que se fabricaram sem vínica nem mosto por ano.


 

ESTAS SÃO AS QUE ESTÃO EM 02 DE OUTUBRO NO SITE DO I.V.D.P. JÁ MAQUILHADAS

 

VENDAS E FABRICO

 

DATA

MOSTO (Pipas)

VÍNICA (Pipas)

VENDAS (Pipas)

2006

123 500

26 945

172 672

2010

110 000

21 812

162 462

2015

111 000

24 218

146 406

2017

118 000

46 454

143 003

TOTAIS

462 500

119 429

624 543

 

581 929

-581 929

 

DIFERENÇA

42 614

 

 

NESTES 4 ANOS MOSTRO A DIFERENÇA DE VENDAS EM PIPAS, O QUE SE DECLAROU E O QUE REALMENTE SE PRODUZIU 

VENDERAM-SE MAIS 42 614 PIPAS DO QUE AS QUE SE FABRICARAM

 

MESMO A TRAFICAR, não conseguiram por os nºs corretos porque apresentam vendas de mais 42.614 mil pipas vendidas do que se fabricaram

 

Peço o favor de me enviar a receção deste email como protocolo.

 

POR UMA EUROPA MELHOR, S. C., ONDE HAJA PAZ, PÃO E JUSTIÇA SOCIAL

 

 

Gonçalves Pedro

 

 

 

 

INFORMAÇÃO ÀS ADEGAS COOPERATIVAS E AOS PEQUENOS E MÉDIOS PRODUTORES

 

Venho lembrar aos Srs. Diretores e Presidentes das adegas cooperativas do vinho da região demarcada do Douro, que não criadas para a proteção dos grandes exportadores, mas sim para proteger e ajudar os pequenos e médios produtores. 

O que está a acontecer depois de 30 anos é precisamente o inverso, até admito que muitos, ou todos, não se apercebem que estão a trabalhar para os grandes exportadores e não para os pequenos produtores, missão para a qual foram criadas. Essa situação deve ser corrigida, e já nesta campanha, para tal já se entrou em contato com a presidência do Crédito Agrícola a pedir para por em ação o Dec. Lei Nº 21883-3-7 Série de 18 novembro 1932, Caixa de Crédito Agrícola Mutuo, que foi criado para ajudar e proteger os agricultores a quem pertence essa caixa.

  1. Penso que nãofaz sentido nenhum que uma coisa que pertence aos agricultores, ande a trabalhar para a concorrência. Informa-se que, o primeiro pedido, quase na volta do correio, veio indeferido, na volta do correio, foi contestado, já lá vão quase 30 dias, devem estar a estudar o pedido.
  2. Compete a todos os envolvidos neste problema, estudar este processo e não esquecer que ainda há o caso do estágio mínimo para resolver.

Gonçalves Pedro

 

 

 Texto alt automático indisponível.

 

 

 

QUANDO JULGAM QUE VÊEM UM CÃO DANADO TODOS LHE ATIRAM

VEM ISTO A PROPOSITO DE UM ARTIGO QUE LI NO JORNAL DOURO HOJE DE 10/10/2018 UM ART. A ARTE DE VARRER O LIXO PARA BAIXO DO TAPETE. 
Fiquei surpreendido visto que foi o único ,o P.S.D. na pessoa do seu presidente que foi atacado pelo EX. Ministro da Defesa, publicamente no Facebook acusando-o aproveitamento político no crime de roubo e encobrimento com a complacência do Sr. Ex. ministro da defesa, acusando-o QUE PARA GANHAR VOTOS NÃO VALE TUDO.
Se bem me lembro o Sr. Presidente do P.S.D. disse e muito bem que esse caso teria de ser tratado nos tribunais, de tal forma que obrigou o Sr. Ex ministro a vir a publico e não só escrito mas falado e discursado a espetar-lhe o cutelo no peito. O que não fez a qualquer outro partido e há dezenas, só o fez para atacar o partido e o seu presidente.
Se me perguntarem, aquilo que aconteceu ao ex ministro da defesa não acontecia a outro qualquer , eu digo que mesmo o mais prespicaz isso acontecia, no contexto em que as coisas se desenrolam na europa em que tudo me faz lembrar as guerras do Raul Solnado que pedia as armas ao inimigo para continuar a guerra e como sei que não é o dono que espreita o ladrão, é o ladrão que espreita o dono. Por tanto acontecia a qualquer outro!!!
Foi publicado um artigo no Facebook à cerca de 30 dias em que acusava o Sr. Ministro de não ter os setamot soterp e aconselhava-o a faze-lo agora, pinte-os e demita-se que não é desonra nenhuma . 
Mas como tinha de passar por esse CALVARIO de SER OBRIGADO A PEDIR A DEMISSÂO, ISSO É QUE É DEZONRA. Mas a culpa não foi só dele.!!!
Em relação ao autor do artigo só peca por atacar o P.S.D. 3 vezes e 1 vez o seu presidente e de todos os outros partidos nem UMA só PALAVRA.
É BOM SINAL E GRATIFICANTE, OBVIAMENTE O VOTANTE VAI CERTIFICAR –SE SE É OU NÃO VERDADE OS DEFEITOS E ERROS DE QUE O ACUSAM , COMO POLITICAMENTE NÃO OS TEM VÃO VOTAR NELE. 
OBRIGADO PELA AJUDA Á PROMOÇÃO QUE FAZEM AO FUTURO PRIMEIRO MINISTRO.

JOROGOP

 

 

 

Tolerância zero. Na vida não vale tudo (para).

Ao Exmo. Sr Rui Rio e Exmo. Sr Ministro da Defesa
Quando se decidiu a assumir o cargo de Presidente do Partido deve-se ter preparado para todos os ataques, mas estou convencido que não contava com tanta guerra e de todos os lados.
Quero informar que as eleições como o Sr sabe nunca foram ganhas com verdades, depois da democracia foram sempre ganhas com promessas e mentiras. Porque com verdades ainda nenhum as ganhou.
Conto com esse herói. Para tal a única coisa que nunca pode deixar vencer é a ganância e corrupção “que para mim uma provoca a outra. Mas estou convencido que irá vencer.
E quando os seus detratores se convencer que nem parte nem verga começam a voltar.
O que eles querem é lá estar.
Por mim que não tenho força para apagar um fósforo, mas pode contar comigo.
Tenho um rosário de contas para rezar pela verdade, igualdade e justiça.
Mas mais temos o maior escândalo do mundo depois de cerca de 40 anos e mesmo em Portugal que a grande maioria concebe mas ninguém diz nada.

TOLERÂNCIA ZERO
Exmo. Sr. Ministro da Defesa, na vida não vale tudo (para).

Foram palavras ditas por V. Exa e por toda comunicação social, falta de tolerância entre uma coisa que não merece ser discutida nos tribunais – O que é isso 1000 toneladas de munições e armas ligeiras, porque material pesado, uma dúzia de carros de combate, pouco mais dá logo as 1000 toneladas.
Não vale tudo para ganhar eleições. V. Exa quer que um candidato que é conhecido como pessoa de rigor e honesto, ganhe eleições com mentiras e promessas!?
V. Exa já pensou se uma Maria da Fonte vinha por aí abaixo até Lisboa para acabar com os corruptos e gananciosos e o Sr. Ministro da Defesa mandava as suas tropas ir buscar as armas e munições, chegava lá e não encontrava nada.
Sr. Ministro da Defesa, deixe lá esse candidato conhecido como pessoa honesta e trabalhadora, lutar pelo bem do País e do Povo e a V. Exa, já que ainda não teve os setamot soterp, faça-o agora, pinte-os e demita-se, que não é desonra nenhuma. 
Não esqueça…, quando há tolerância zero nas estradas, há sempre dezenas de mortos, centenas de feridos nos hospitais e milhares de contra-ordenações passadas mesmo depois de avisados. Portanto, na qualidade de militar, sabe bem que um colega trai um amigo para subir na carreira. 
Isto pode ter sido um projeto que falhou, ou alguém que o traiu, que, se calhar, come ainda com V. Exa à mesa. Porque, com hipócritas vale tudo para subir na vida.

 

 

 

:

"Reflexões sobre os usos/competências/danos experimentados pelas crianças e o papel das famílias na socialização digita"

 

erc_logo

 


 

ERC publica estudo Boom Digital? Crianças (3-8 anos) e Ecrãs

 

    No Dia da Internet Mais Segura 2018, iniciativa europeia que arranca a 6 de fevereiro, a ERC – Entidade Reguladora para a Comunicação Social disponibiliza ao público, no seu sítio eletrónico, o ebook “Boom Digital? Crianças (3-8 anos) e Ecrãs”.

    O volume integra textos de especialistas e de profissionais nacionais e internacionais que refletem, em relação à sociedade portuguesa e a estudos realizados noutros países europeus, sobre o modo como as crianças mais novas estão a crescer em contacto com a tecnologia digital, os usos que fazem dos ecrãs, as competências e literacias que vão adquirindo, as situações de dano que podem experimentar e os modos como as famílias intervêm nessa socialização digital.

    Este estudo constitui mais um contributo no âmbito da terceira edição do projeto da ERC “Públicos e Consumos de Media”, desenvolvida em parceria com uma equipa de investigadores da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa coordenada pela professora Cristina Ponte, e sucede à publicação Crescendo entre Ecrãs. Usos de Meios Eletrónicos por Crianças (3-8 Anos) (ERC, Fevereiro de 2017).

Recordamos que se tratou de uma análise pioneira em Portugal sobre usos de meios eletrónicos por crianças de 3 a 8 anos, baseada num inquérito nacional e na observação de 20 famílias com crianças que acedem à internet.

 

Segundo os resultados desse inquérito, 38% das crianças dos 3 aos 8 anos acedem à internet. O acesso cresce significativamente com a idade: 22% das crianças de 3-5 anos e 62% das crianças de 6-8 anos. Crianças de famílias com estatuto socioeconómico alto são as que mais usam a rede. Os principais usos desta tecnologia são lúdicos: ver desenhos animados e filmes, jogar jogos, ouvir músicas.

 

O título interrogativo do ebook que hoje se disponibiliza procura destacar a ambivalência entre usos e projeções de risco.

 

    Apesar de + de 2/3 dos pais serem utilizadores da internet, o estudo evidencia que se preocupam muito mais com esta tecnologia do que com a televisão, meio a que a maior parte das crianças assiste todos os dias. Na internet, os educadores projetam ideias de risco associadas ao seu contexto cultural e ao consumo dos chamados meios tradicionais (violência, linguagem inapropriada e nudez), a que se soma a preocupação com os contactos com estranhos.

 

    Para o Vice-Presidente da ERC, Mário Mesquita, «este estudo sobre os usos da televisão e das redes digitais pelas crianças, além de constituir um relevante contributo para as orientações da ERC, representa também uma proposta de reflexão que disponibilizamos às famílias e aos educadores. Registo a exigência e a qualidade da investigação elaborada por professores da FCSH da UNL, dirigidos pela Prof.ª Cristina Ponte, respondendo a solicitação da ERC».

 

    Cristina Ponte, responsável pela coordenação científica do estudo, salienta que «na televisão os pais têm a sensação que controlam. Nos outros meios digitais sentem uma fragilidade nas suas competências de observação e controlo. Daí a importância de as competências digitais (…) fazerem parte de uma agenda de formação e informação parental e das próprias crianças, capacitadora de saber lidar com riscos e de tirar partido das oportunidades».

 

O estudo “Boom Digital? Crianças (3-8 anos) e Ecrãs” está dividido em 7 capítulos:

 

  • O , da autoria de Ana Nunes de Almeida e Vasco Ramos (Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa), intitula-se “As crianças nas famílias em Portugal” e aponta o lugar das crianças na sociedade portuguesa contemporânea.

  • O , da autoria de Cristina Ponte, José Alberto Simões, Susana Batista, Teresa Sofia Castro e Ana Jorge (CICS.NOVA, da FCSH-UNL), tem por título “Educando entre ecrãs” e articula os resultados do trabalho de campo com os de estudos anteriores, junto de famílias de crianças mais velhas.

  • O , da autoria de Maria João Leote de Carvalho (CICS.NOVA, da FCSH-UNL), intitula-se “Crianças e meios eletrónicos em territórios socialmente desfavorecidos: um olhar sobre (outros) mundos da infância” e apresenta um olhar etnográfico sobre esses territórios a partir das vozes de crianças e suas mães e avós, onde se descobre a vontade de integração social pelo acesso e uso de meios digitais.

  • O , da autoria de Andrea Basílio (RTP), intitula-se “Como o Zig Zag mantém o seu espírito na onda da convergência” e apresenta os desafios que se colocam à programação do serviço público de televisão para estas idades.

  • O , da autoria de Nelson Zagalo (Universidade do Minho), tem como título “Jogos digitais na infância” e chama a atenção para fatores psicológicos que dão sentido ao fascínio das crianças pelo ato de jogar, em geral, e para diferenças entre géneros de jogos.

  • Os dois capítulos finais (“Conselhos para diferentes tipos de pais sobre usos de meios digitais” e “Intervenção parental sobre os usos dos média por crianças mais novas: o olhar da Holanda”) trazem contributos de investigadores europeus sobre estas temáticas e idades, privilegiando as dinâmicas das famílias e considerando as suas diferenças e necessidades de aconselhamento. Os seus autores são Bieke Zaman, Sofie Vandoninck e Marije Nouwen (Universidade Católica de Lovaina, Bélgica) e Peter Nikken (Universidade Erasmus de Roterdão, Holanda).

 

 

A ERC relembra que disponibiliza as bases de dados de todos os inquéritos “Públicos e Consumos de Media”, de forma gratuita, à comunidade académica e centros de investigação interessados.

 

 

Lisboa, 6 de fevereiro de 2018

 


Copyright © 2018

FUNDAÇÃO SOLIDARIEDADE PEQUENOS E MÉDIOS PRODUTORES DE VINHO DO PORTO

Junta Freguesia de Pinhão
Alijó
5070-000 Alijó

logo_bottom

 

 

 

 

 

 


Pedido de Atualização do Decreto Lei 21:883 de 1932

 

   Este decreto esteve atualizado até aos anos 90 +/-.
Resolveram então os grandes mestres da orquestra com a conivencia dos sucessivos presidentes do IVDP alterá-lo sem consulta prévia a todos os intervenientes .

Conclusão?

  Os pequenos e médios produtores incluindo ainda alguns grandes proprietarios  que não engarrafavam foram obrigados  a vender as suas quintas porque o seu rendimento caiu para  metade. Só na produção do vinho do porto igual  50% do seu rendimento,e no mosto de 1200€ a pipa, passou a 800€ resultando num rendimento anual de 18%.

 

 

Nenhum produtor pode viver com esta situação. Nem os grandes exportadores ganham mais com o mal dos outros.

 

 

    Desafio qualquer economista que venha provar que isto é uma medida boa e  economica para portugal, para a europa e para esses inteligentes que provocaram esta situação(os exportadores).

Veem ainda à praça publica  dizer que querem arrancar 5000  hectares de vinha nos próximos 10 anos.

 

   Se no proximo ano não começarem a estagiar os vinhos do porto corrente pelo menos 3 anos e se as vendas anuais do vinho do porto não subirem  para cima das 200 mil pipas, (não falo das 300 mil pipas que é obrigado a estarem em estágio) penso que os lavradores não vão a lisboa pedir dinheiro ao governo mas será o governo que virá á região para negociar com os lavradores,com respeito e dignidade e espirito de economia.

 

   É vergonhoso que haja um português,  ou 2 ou 3 que venha para a praça publica dizer que dentro de 10 anos teem que se arrancar  5 mil hectares de vinha , certamente que não é para lá ir plantar  eucaliptos porque  nem para isso o terreno serve.

 

   Neste momento não existem Vinhos do Porto correntes disponiveis nem com estágio ne sem estágio, sei de empresas que consultaram o mercado e a resposta foi lamentar mas não havia disponibilidade.

Dr.MárioCenteno Assumo a responsabilidade e peço a qualquer economista e peço ao sr. Ministro das finanças Dr.Mário Centeno considerado o melhor economista e financeiro do mercado comum se isto é prejudicial a qualquer pequeno ou grande exportador.

  

Perdem-se milhões de euros anualmente por não se fazer promoção ao vinho do porto que é exclusivamente nacional e logicamente da europa.